Linha do Tempo

A. Carneiro Leão publica: 'O Ensino das Línguas Vivas'

Antonio Carneiro Leão (1887 – 1966) foi responsável pela implantação do método direto para o ensino de línguas durante a Reforma Francisco de Campos (1931). Publicou diversos livros relacionados à educação, dentre as quais se destaca a obra intitulada “O ensino das línguas vivas” (1935), a qual descreve o método direto de maneira singular e faz um retrato do ensino de línguas no Brasil, bem como nos países com os melhores modelos de educação da época. Educador, professor, administrador, ensaísta e imortal da Academia Brasileira de Letras, o Prof. Carneiro Leão formou-se bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito do Recife (1911) dedicou-se ao magistério universitário, tornado-se professor de Filosofia na Universidade do Recife, no mesmo ano de conclusão do seu curso superior. Foi nomeado diretor geral da Instrução Pública no Rio de Janeiro (1922). Deixou a direção da Instrução Pública (1926) e voltou para o Recife, onde coordenou a Reforma da Educação no Estado de Pernambuco (1928) e foi Secretário de Estado do Interior, Justiça e Educação do Estado de Pernambuco (1929-1930). Foi nomeado diretor do Instituto de Pesquisas Educacionais (1934) e criou e dirigiu o Centro Brasileiro de Pesquisas Pedagógicas da Universidade do Brasil e foi professor universitário em várias instituições nacionais e visitante e conferencista em universidades dos Estados Unidos, França, Uruguai e Argentina.