Linha do Tempo

Idel Becker: O Pioneiro do Ensino de E/LE no Brasil

Desde que a língua espanhola foi incluída como matéria no ensino regular brasileiro pela Reforma Capanema em 1942, vem a cada dia galgando seu espaço.

Hoje, as instituições de ensino e professores têm a sua disposição uma gama imensa de manuais para o ensino do Espanhol. Porém é importante salientar que toda esta leva de livros, teve um antecessor. Logo após a aprovação da lei Capanema, foi lançado no mercado um livro intitulado 'Manual de Espanhol', que teria anos mais tarde várias edições e seria basicamente o único do gênero para o ensino da língua de Cervantes no Brasil. Talvez por ironia do destino, a língua de Castilha resolveu entrar via Argentina por meio do professor, médico e erudito Idel Becker.

Apesar de ter nascido na Argentina a 28 de dezembro de 1910, passou sua infância no Brasil, mais especificamente no Rio Grande do Sul, onde aprendeu a ler e a escrever em três idiomas. Naturalizou-se brasileiro e foi professor da USP e da Universidade Mackenzie. É o autor de mais de 20 obras, entre elas, 'Manual de Espanhol' (1945) e alguns dicionários bilíngües espanhol-português e vice-versa. Escreveu também o livro 'Manual de Xadrez' (1948) reconhecido por todos enxadristas como obra maestra.

Mesmo sendo a personalidade que foi e ainda é, aos professores de Espanhol nos chega pouquíssima informação acerca de Idel Becker. Talvez pela enciclopédia que era e por suas infinitas facetas. Porém, é inegável sua contribuição para o ensino de E/LE, tendo em vista que, durante anos, seu manual foi a única referência didática deste idioma em nosso país.

Como num jogo de xadrez, Becker sofreu cheque-mate em 12 de junho de 1994, dia do enxadrista, deixando seu nome marcado em todas as nóminas de várias áreas das ciências humanas.